Seguidoures

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Confessions: Saindo de Cena

Não ia mais ligar. Mesmo.
Pra mim quem quer alguma coisa corre atrás, dá sinal de vida, se vira, tantos meios free pra se falar hoje.

Mas meu coração não aguenta e como eu não tolero coisas mal resolvidas - mal de capricorniano talvez - e sabia que isso me angustiaria..aí liguei, até mesmo pra evitar injustiças, afinal um asteróide pode ter caído no ABC ou uma hecatombe poderia ter acontecido por aqueles lados. Não é?
Falei sem emoção já, afinal já sabia o que me aguarda, ou ao menos imaginava.

- Notei que não tem feito nenhum esforço esses dias, pra me ligar ao menos que seja, mandar mail, enfim qualquer coisa, e aí o que rola? Pode ser sincero, você sabe.

Argumentou que gosta muito de mim e que quer minha presença, mas anda relapso esses dias e que os pais e amigos já disseram isso, mas disse que esse desânimo veio do nada e ficou assim, de repente sem vontade de nada. Disse que quer me conhecer mas que essa é sua situação atual e jogou para mim decidir o que eu devia fazer.

(Algo em comum com alguns de vocês?)

Por minutos eu conversava e até expunha que aquilo não era uma situação fácil, talvez o que me ajudou mais a tomar a minha decisão foi a sua pouca emoção diante dos fatos e no decorrer da conversa.

No sentido que isso foi acontecendo, minha cabeça ia dando voltas e eu tinha dúvidas do que fazer. Assim, comecei a ter imagens de quando estava com ele, e vi que apesar de eu estar gostando tinha que me colocar em primeiro lugar.

Mas retomando o paragrafo anterior, a gente consegue entender que há um quê de deixar-no-estepe-pra-depois desse discurso. E infelizmente já tenho experiências passadas com casos semelhantes, logo não seria justo comigo isso mais uma vez.

(Mais uma vez, vocês já leram esse livro antes, certo?)

Disse que estar com ele assim seria o mesmo que estar sozinho e que sinceramente não era isso que queria para mim.

- Portanto eu saio de cena, é o melhor para que ninguém magoe ninguém nessa.

Ou seja, se eu não tomasse uma atitude, se desenrolaria essa situação sem que ele encarasse os fatos e ficaria um empurra-empurra com a barriga até sabe lá onde isso iria parar.

Hoje eu já encaro tudo com realidade e vejo que não há nada melhor do que ser sincero consigo mesmo.

Assim se encerrou a ligação, e eu ainda chatedo comecei a sentir um alívio, é como se dentro de mim algo disse:

- Foi o melhor pra você filho!

Estou aproveitando esse tempo sozinho para estudar, curtir os amigos e cuidar de mim mesmo. O melhor é estar feliz consigo que com esse sentimento enfrentamos e transpomos qualquer obstáculo.

- Foi o melhor pra você filho!

(It's over)

2 comentários:

  1. Por mais que esteja tudo resolvido... sempre fica uma mágoazinha néah?... Por mais que a gente não quer valorizar tanto o fato...

    E assim a vida continua... e amanhã é quinta...

    foda-se querido!!! [e ñ precisa ser com ele]...

    ***

    ResponderExcluir
  2. Querer resolver tudo é um mal irritante nosso, capricornianos... E pior q faço igualzinho, acho que gostaria q a pessoa entrasse em contato, sinal de fumaça e não o faz, dai eu nao aguento e vou atras... e o pior ele mora nas proximidades do ABC... serão amigos? rs

    bjs do Lico

    ResponderExcluir