Seguidoures

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Ano Novo - Parte 3 - Mudanças efetivas


Desde o show da Madonna eu vi que meu gás havia sido renovado e que eu iniciava um novo tempo mas mal o ano começara, eu já me veria com tantas mudanças.

Cheguei de viagem - foram duas Natal (São José) e Ano Novo (São Vicente) que me deixaram de casa por longos dias no final do ano. Meu pai me abarrota com milhares de perguntas, informações ou questionamentos sobre outras coisas - porque das minhas saídas ele não as questiona - e nossa crise que já se estende nos ultimos anos definitivamente foi deflagrada de uma vez por todas. Houve horas de longas e cansativas discussões, mas que não foram violentas, foram apenas claras.Ficaram óbvias situações e pensamentos discordantes.

Ele não tem respeitado meu espaço e quer saber demais da minha vida. Isso não é um problema, ao menos na minha situação que se é gay o pai não sabe e você oficialmente ainda se comporta como um enrustido.
Acredito que chegou a hora de arriscar e de mudar:
Iniciei o processo de mudança de casa, de contar ao meu pai tudo sobre mim - que eu ainda avalio - e de mudança na vida profissional. Sabe quando voce se acomoda e estaciona? Eu estou precisando de sangue novo para viver e minha vida deu nessa ultima semana umareviravolta que não aconteceu nos ultimos 5 anos.

Me perguntaram se não é um passo maior que as pernas, se não é cedo. Hoje eu adquiri maturidade - ainda recente - para dizer quenão, não é cedo.

Cheguei a algumas conclusões:
Que eu preciso de mais espaço e do meu espaço.
Que eu preciso viver a minha vida e não a dos outros.
Que eu preciso de autonomia para construir minha vida e no futuro a minha familia, afinal eu quero ser feliz.
Que ele já teve o tempo na vida dele de errar e de acertar e que agora é a minha vez.

Nada será como antes a partir de agora.

11 comentários:

  1. Meu lindo, vc é a pessoa que mais tem condições de saber o que é melhor pra vc, mesmo sendo eu uma das pessoas que perguntou sobre o comprimento da sua perna!
    ahahaauhauahauahauhau!

    Meu lindo, acima de tudo, eu acho que esse afastamento pode ajudar na situação de convivência entre vc e seu pai! O estar junto sempre, muitas vezes, prejudica!

    Beijão!

    ResponderExcluir
  2. realmente chaga uma hora que não dá mais e a casa fica pequena demais.

    amigo, te dou todo o apoio do mundo, mas faça tudo muito bem pensando, coisas precipitadas tendem a não dar certo.

    boa sorte.
    abraços.

    ResponderExcluir
  3. Cara, graças a tentar viver uma vida para os outros que cometi uma das maiores besteiras da minha vida até aqui: casar. Agora estou pagando um dobrado para me divorciar. É muuuito dinheiro. E outras coisas mais.

    Me passa seu MSN.

    ResponderExcluir
  4. Hey!
    Durante meu ócio-trabalhístico achei o seu blog por acaso...e gostaria de parabenizá-lo, gostei muito do conteúdo. Ri bastante! e me identifiquei muito com os posts "sérios". Com certeza vai ser um blog que vou acompanhar.

    Att, Biel

    ResponderExcluir
  5. Tô daqui (da cidade maravilhosa) te desejando toda sorte do mundo. E, como alguém já disse, um afastamento realmente ajuda a melhorar a relação. Bj

    ResponderExcluir
  6. concordo totalmente com vc
    que em 2009 vc conquiste tudo isso
    e consiga ter uma relação bacana com o seu pai

    bj

    ResponderExcluir
  7. então...já que sabe o que fazer, faça e tenha um FELIZ ANO NOVO MOÇO

    ResponderExcluir
  8. Fala, meu querido!

    Mudanças são sempre bem vindas e necessárias. Espero que dê tudo certo em todas as decisões que você está tomando ou tomará nesse 2009!

    Saudades de passar por aqui também!


    beijão!

    ResponderExcluir
  9. Não tem um pouquinho dessa coragem pra me dar, não, mocinho??? rs

    Torço muito por ti!!!

    Beijo

    ResponderExcluir
  10. Saia de casa, mas não deixe de tentar se resolver com seu pai. Talvez, com o corte do cordão umbilical, ele pondere mais a respeito de você e de suas necessidades.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  11. boa sorte nos enfrentamentos. Lembre-se, não vivemos sem encontros e desafios!

    ResponderExcluir